Garantido sob ameaça de perder a “Universidade do Folclore Paulinho Faria”

A Associação Folclórico Boi-Bumbá Garantido deve perder em definitivo o terreno onde está instalado o Centro Educacional “Paulinho Faria” – Universidade do Folclore do Garantido por conta de uma dívida atualizada em R$ 720 mil.

A direção do bumbá não cumpriu o acordo judicial de renegociação de dívida feito com a odontóloga Rainez da Silva Rocha de Freitas, para que o terreno da Universidade do Folclore não fosse levado a leilão no mês de junho passado. O valor do acordo era de R$ 330 mil a ser pago em três parcelas, dividida em três anos. Como não foi cumprido o combinado de pagamento da primeira parcela de R$ 110 mil no dia 28 de junho de 2018, foi aplicado multa de 100% da dívida original. Hoje o valor atualizado da dívida é de R$ 720 mil.

Diante da falta de compromisso da direção do Garantido em não honrar com o pagamento acordado judicialmente, a empresária Rainez, por meio do advogado Rodrigo César da Silva e Silva, voltou a pleitear judicialmente a penhora também do restante do imóvel da Universidade do Folclore, uma vez que o terreno é avaliado em R$ 400 mil e a dívida é de R$ 720 mil.

A odontóloga Rainez afirmou em reportagem anterior que não fará mais nenhum tipo de acordo com a direção do Boi Garantido, deixando o caso a cargo da Justiça.  A dívida com Rainez se arrasta por mais de 12 anos, quando ela emprestou no dia 28 de junho de 2002 um cheque no valor de R$ 15 mil para que o bumbá sanasse o pagamento com compositores antes da entrada do boi na arena. O não pagamento do empréstimo trouxe várias consequências para Rainez que perdeu vários bens, dentre eles, carro, moto, terrenos, inclusive, também teve até o pagamento de salário suspenso.

Matéria: Repórter Parintins

Imagem: Marcondes Maciel