Alegorias do Boi Garantido impactam pela grandiosidade

Diferentemente do festival passado quando veio compacto, o Boi Garantido retomou o gosto pelas grandes estruturas alegórica e chama atenção pela grandiosidade de suas peças. Tanto é que foi preciso sair com boa parte das estruturas para a área externa da Cidade Garantido, pois os galpões estavam superlotados. A ordem dada pela diretoria e pela Comissão de Arte foi simples: impactar!

Todas as estruturas usadas pelo Boi do Coração atingem a altura máxima de 22 metros de altura, todas projetadas para receber o item com sua indumentária completa (leia-se com costeira) para sua pronta e imediata evolução ao saírem das mesmas. Por noite serão usadas cinco alegorias, de 02 a 03 módulos chegando ao total de 235 módulos. Vale ressaltar, que por conta do teto rebaixado dos galpões da Cidade Garantido as alegorias são “cortadas” até 3 níveis ganhando sua forma real na concentração.

Kanipayêro e a fome dos deuses canibais – Um sonho desafio

Os Arauêtes acreditam que Yucatirã, o deus canibal, devorava suas almas para fortalecê-los, um modo de renovar-se. O grande pajé Kanipayê-ro sonhou desafiando o demônio da fome eterna e lutou para não ser devorado. Esse é o contexto do ritual da primeira noite assinada pelo artista Oséas Bentes. A estrutura alegórica mede mais de 30 metros de boca de cena e 25 metros de profundidade e promete muitos movimentos e efeitos, característica do artista.

A velha bruxa fantasmagórica: Matinta!

Uma das lendas de terror mais conhecidos pelo caboclo amazônico, a velha amaldiçoada a se gerar em ave agoirenta e bruxa, que gostava de fumo e bebida assustou por muitas décadas os curumins, cunhatãs e até adultos. Essa história macabra será contada na lenda amazônica da segunda noite assinada pelo artista Roberto Reis. São 14 módulos, 36 metros de boca de cena por 25 metros de profundidade que trará a Rainha do Folclore.

O dom de um sacaca – alquimista e curandeiro da floresta

O conhecimento em ervas, plantas, cipós, infusões, beberagens e cura através da fé e rezas será a figura típica regional da última noite. A estrutura alegórica possui dois níveis: um aquático e outro terroso sob a concepção artística de Rogério Azevedo, a mesma possui cinco centrais e mede 30 metros de boca de cena por 17 metros de profundidade.