Promessa cumprida: Garantido vai às ruas lembrando São João e Lindolfo Monteverde

O povo de alma vermelha pagou mais uma vez a promessa de Lindolfo Monteverde. Num dos eventos mais importantes da associação folclórica de Parintins, o Boi Garantido foi novamente às ruas numa celebração centenária iniciada pelo seu fundador, que pediu a cura da malária a São João Batista. Em troca, ele confeccionaria  todos os anos o boi de pano nesta data e o faria sair pelas ruas da Ilha Tupinambarana. O ponto inicial foi o antigo Curral do boi, na avenida Lindolfo Monteverde,passando por Armando Prado, Álvaro Maia, avenida Amazonas e finalizando na Catedral de Nossa Senhora do Carmo, num misto de alegria e ritmo de boi com toadas clássicas e atuais.

Boi da promessa e da fé, o Garantido começou sua celebração histórica com a tradicional ladainha rezada em latin e depois em português pela família Monteverde e amigos no antigo curral onde há um busto em homenagem a Lindolfo, na avenida Lindolfo Monteverde, na Baixa do São José, no local onde hoje funciona a associação que leva o seu nome. Houve a tradicional fogueira e distribuição de brindes e bolo.

“Esta data marca o cumprimento da promessa do meu pai. Ele teve malária e pediu a cura para São João Batista”, disse Maria do Carmo Monteverde, que fez 80 anos dia 29 de maio e que neste domingo ganhou parabéns especial. Durante a apresentação da Batucada encarnada, ela foi ao palco para cantar toadas. A ausência foi o irmão de Maria,João Batista Monteverde, que se recupera de problemas de saúde.

O Boi parou em frente às casas de brincantes, torcedores tradicionais e até de parentes: o tripa oficial, Denildo Piçanã, posicionou-se em frente à própria casa, na rua Lindolfo Monteverde, e brincou com o neto, também Denildo, de 4 anos de idade.

Na casa da Sinhazinha Djidja Cardoso ele “invadiu” para brincar com a item oficial e tirar fotos com a família deia.

“Não tenho palavras para falar. É muito emocionante e lindo. E um sentimento maravilhoso mesmo. Minha família ficou emocionada e dá pra ver pelos gritos, né?”, disse Djidja.

Outro ítem oficial presente foi o pajé André Nascimento,um dos “campeões de pedidos de fotografias de fãs. Outro ítem bastante popular, mas que não concorre para efeito de pontuação, o Pai Francisco João Paulo Faria falou da emoção de estar presente na Ladainha junto com seu,o ex-presidente do Garantido, Zezinho Faria.

“Sempre viemos eu e meu pai para as ladainhas de São João e Santo Antônio. Nós estando aqui junto com a torcida do boi representa a certeza que a tradição vai ser mantida. Hoje é a celebração principal do Garantido antes do Festival porquê é a data onde o Lindolfo prometeu que iria colocar o boi na rua todos os anos.E a mais de 100 anos, de geração em geração temos feito isso.Essas tradições que só o Garantido tem que nos diferenciam do contrário”, disse ele, que é sobrinho do imortal ex-apresentador do Garantido,Paulinho Faria.

Locais como por exemplo o cruzamento da avenida Lindolfo Monteverde com  Armando Prado e adjacências ficaram completamente tomados de torcedores do Garantido cantando toadas antológicas e deste ano.

Matéria: A Crítica On line

Foto: Chris Reis