Recursos do Governo do Estado para o festival está incerto

Ao contrário do que imaginou-se e do que foi noticiado nos últimos dias o repasse dos recursos do Governo do Estado para os bois Caprichoso e Garantido está  incerto por causa do Termo de Ajustamento de Conduta celebrado em 2012 com o Ministério Público do Trabalho (MPT).

No termo ficou acertado que o Governo do Estado deve bloquear 60% dos recursos destinados para garantir o pagamento dos trabalhadores e as multas do MPT. Quando repassado em parcelas a segunda parcela seria bloqueada.

Porém, este ano o repasse será em parcela única. O juiz do trabalho de Parintins determinou que fossem bloqueados 30% do repasse para destinar aos pagamentos da Junta do Trabalho.

Já o Ministério Público do Trabalho  (MPT) entrou em cena pedindo o bloqueio de 60% conforme determina o Termo de Ajuste de Conduta. Uma reunião da Secretaria de Estado de Cultura (SEC) foi marcada com urgência na manhã festa terça-feira  (27), para discutir o assunto, contudo compareceu a mesma somente o advogado do Boi Garantido.

Em Parintins, a movimentação de advogados na Junta do Trabalho é intensa e tensa.